obesidade

Outra alternativa, também inspirada na medicina chinesa, está sendo estudada no Hospital São Paulo, da Unifesp para tendinite, enxaqueca, doenças crônicas, como crise de asma, obesidade e até vitiligo. Os pesquisadores acreditam que a cura dessas doenças, de forma rápida e sem medicamento, é possível. Ainda estão estudando, mas já encontraram várias evidências. O tratamento se chama Qi Mental.

“O termo Qi significa energia em chinês. Nós mobilizamos a energia mental, da mente do paciente, para o tratamento da doença”, explica a médica Márcia Yamamura.

Segundo os especialistas, a origem de quase todas as doenças está no emocional das pessoas. O médico induz o paciente a buscar na memória, no subconsciente, lembranças do passado, de acontecimentos ruins. É assim que a dona de casa Lindalva da Silva Navarro vem tratando uma doença que ela contraiu há nove anos, o vitiligo.

“Eu tinha o rosto todo atingido pelo vitiligo”, conta a paciente.

Ela vivia se escondendo das pessoas e até do espelho. Se sentia rejeitada.

“Não admitia nem que meu marido me acariciasse. Eu achava que era porque ele estava com dó e pedia para que me deixasse em paz”, lembra Lindalva.

“Esse caso é muito interessante porque ela relaciona cada mancha a um acontecimento do seu passado”, diz a médica.

Quanto mais Lindalva sofria, mais manchas apareciam em seu corpo.

“O tratamento consiste em falar para o paciente resolver esse conflito emocional, dar a ele o desfecho que ele gostaria de ter dado e não pôde por vários motivos. O importante é trocar a emoção ruim pela emoção boa”, diz a médica.

Funcionou como um remédio eficaz. Lindalva seguiu direitinho a orientação da médica e as manchas foram sumindo.

“Em 21 dias o vitiligo desapareceu do meu rosto completamente”, garante ela.

Hoje, o médico João Yokoda cuida de seus pacientes com a mesma técnica que lhe curou: o Qi Mental. Como três senhoras, ele também sofria de obesidade.

 

Em outubro de 2000, o médico pesava 108,3 quilos. Dois meses depois, em dezembro de 2000, já estava com 89,5 quilos. Perdeu quase 20,5 quilos em pouco tempo.

 

 

“Esse foi o primeiro experimento do Qi Mental em mim mesmo”, diz ele.

Marly, Cláudia e Suely. Cláudia, a mais magrinha, tinha 120 quilos.

“Eu já sinto diferença. Estou mais tranqüila e menos compulsiva. Me levantava durante a noite e assaltava a geladeira. Agora não tenho feito isso”, diz Marly Rodrigues, auxiliar de escritório.

“À noite eu não assaltava a geladeira, era de dia mesmo”, confessa Cláudia Rocha da Silva, secretária.

Elas começaram o tratamento há uma semana e já perderam peso. Suely está com cinco quilos a menos.

“É uma coisa impressionante, porque é um tempo curto e dá essa diferença. E eu gostei bastante porque não tem medicação”, ressalta Suely Marques, metroviária.

A receita é comer. Comer muito e tudo o que quiser e der vontade. Mas só na imaginação.

“Eu mentalizo que eu estou comendo o que tenho vontade. Eu adoro pão. Então, eu sinto o aroma, me vejo cortando o pão, recheando com o que eu mais gosto e comendo. Comendo mais um, mais um e mais um… Eu me sinto saciada só com a impressão. A sensação é maravilhosa. Depois que você termina está até enjoado”, diz Marly.

Enquanto pesquisam, os médicos curam. Em São Paulo, 300 pessoas já deixaram de ser obesas buscando os segredos do subconsciente. O Qi Mental pode ser uma das boas novidades da medicina, dizem os pesquisadores.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para CBD for sale Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here